https://periodicos.univale.br/index.php/jae/issue/feed Anais da Jornada Acadêmica das Engenharias 2023-06-01T18:40:20+00:00 Prof. Dr. Hernani Ciro Santana jornadadasengenharias@univale.br Open Journal Systems <p>A Jornada Acadêmica dos cursos de Engenharia da Universidade Vale do Rio Doce - UNIVALE é um evento anual que visa promover trocas de saberes e experiências entre acadêmicos e profissionais da área, permitindo a aproximação dos estudantes às novas exigências do mercado de trabalho, além da divulgação dos trabalhos científicos, discussões e relatos de experiência desenvolvidos por estudantes de graduação e pós graduação e de profissionais.</p> <p>ISSN 2764-6467</p> https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/349 ABÓBADAS 2023-05-22T11:37:44+00:00 Gisele Pereira Jordão Rodrigues gisele.rodrigues@univale.br Dayane Gonçalves Ferreira dayane.ferreira@univale.br <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">Tendo suas primeiras utilizações datadas no Antigo Egito, entende-se por Abóbada toda estrutura arquitetônica de formato curvado usada para cobertura de espaço entre dois muros ou vários pilares. Ainda muito associado ao passado, tal elemento possui diversas qualidades de interesse para o construtor moderno, podendo possibilitar uma importante justaposição entre a tradição e a inovação.&nbsp; </span><strong>Objetivo:</strong><span style="font-weight: 400;"> Compreender as vantagens e desvantagens do uso das abóbadas historicamente e, a partir disso, buscar quais benefícios e a praticabilidade de assimilar sua aplicação trazem para a engenharia e arquitetura contemporâneas.&nbsp; &nbsp; </span><strong>Metodologia:</strong><span style="font-weight: 400;"> Inspirando-se nos ensinamentos em sala de aula, foi realizada uma pesquisa com propósito de conhecer as peculiaridades, utilizações e evoluções de tal elemento estrutural, desde suas origens até os tempos atuais. Ademais, foram estudadas obras modernas que usaram dessa estrutura em suas composições.&nbsp; </span><strong>Resultados:</strong><span style="font-weight: 400;"> Foi constatado que essa estrutura arquitetônica ainda é um recurso consideravelmente utilizado por projetistas em seus mais diversos trabalhos, mesmo com sua famosa associação a templos religiosos, e é cogitada como uma solução esteticamente atraente para grande vãos e para locais marcados pelos conceitos de leveza e repouso. </span><strong>Conclusão:</strong><span style="font-weight: 400;"> Mesmo com seu grande vínculo com o passado, a abóbada vem criando uma identidade moderna ao se unir com a inovação. Sem realmente abandonar suas raízes, esse elemento vem evoluindo a séculos, aprendendo com os erros e usufruindo dos avanços tecnológicos alcançados na atualidade, se tornando uma bela solução para arquitetos e engenheiros.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Gisele Pereira Jordão Rodrigues, Dayane Gonçalves Ferreira https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/350 AEDES AEGYPTI 2023-05-22T11:50:20+00:00 Heloizio Alves Vieira heloizio.vieira@univale.br Luciano Diniz Claudino Junior luciano.claudino@univale.br Maria Clara Mendes Pimenta maria.pimenta@univale.br Quezia Kemily de Oliveira Batista quezia.batista@univale.br Vinicius Ribeiro de Souza Machado vinicius.machado@univale.br <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">Este</span> <span style="font-weight: 400;">trabalho considera o desastre do rompimento da barragem de rejeitos de mineração ocorrido em 2015 e seu impacto na qualidade da água do rio Doce desde então. Desta forma, investigamos a possível relação entre a proliferação dos mosquitos do gênero </span><span style="font-weight: 400;">Aedes</span><span style="font-weight: 400;"> e a qualidade da água do rio Doce. </span><strong>Objetivo: </strong><span style="font-weight: 400;">Testar a existência de relação entre a oviposição de </span><span style="font-weight: 400;">Aedes</span><span style="font-weight: 400;"> e a qualidade de água do rio Doce. </span><strong>Metodologia: </strong><span style="font-weight: 400;">Em uma área próxima do rio Doce foram instaladas ovitrampas para coleta dos ovos. Foram demarcados dois transectos contendo 10 ovitrampas em cada, totalizando 20 trampas. As ovitrampas ficaram espaçadas 1 metro entre si, sendo metade preenchidas com água tratada e a outra metade com água retirada diretamente do rio Doce. Após uma semana, as tarjetas das ovitrampas foram levadas para o laboratório onde o número de ovos foi contado e comparado entre os tratamentos. </span><strong>Resultados:</strong><span style="font-weight: 400;"> As ovitrampas preenchidas com água do rio totalizaram 470 ovos, com uma média de 58,75 ovos por trampa, enquanto, as ovitrampas preenchidas com a água tratada pelo serviço autônomo de água e esgoto totalizaram 237 ovos, com uma média de 23,7 ovos por trampa. </span><strong>Conclusão: </strong><span style="font-weight: 400;">A presença de matéria orgânica e outras substâncias dissolvidas, além da ausência de cloro na água diretamente retirada do rio para preencher as ovitrampas podem causar a diferença encontrada neste trabalho. Nossos resultados sugerem que a água do rio é mais atrativa à oviposição do Aedes e/ou que a água tratada pelo SAAE reduz a preferência das fêmeas pelas ovitrampas que a contém.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Heloizio Alves Vieira, Luciano Diniz Claudino Junior, Maria Clara Mendes Pimenta, Quezia Kemily de Oliveira Batista, Vinicius Ribeiro de Souza Machado https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/351 CALÇADAS COMO UM PONTO CRÍTICO 2023-05-22T12:15:02+00:00 Geovanni Pascoal geovanni.pascoal@univale.br João Victor Lemos joao.silva1@univale.br Mariana Alves Arruda mariana.arruda@univale.br Pollyana Candido da Silva pollyana.silva@univale.br Sara Moreira Lopes Addário sara.addario@univale.br <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">O artigo 4º da Política Nacional de Mobilidade Urbana dispõe a tese de</span> <span style="font-weight: 400;">mobilidade urbana e acessibilidade. Sua associação refere-se à capacidade das</span> <span style="font-weight: 400;">pessoas se locomoverem dentro de um ambiente, de modo que não prejudique sua</span> <span style="font-weight: 400;">integridade física, apresentando um tráfego seguro, ergonômico e estético.</span> <span style="font-weight: 400;">Entretanto, na conjuntura dos centros urbanos, essa locomoção torna-se</span> <span style="font-weight: 400;">desafiadora para atendimento do público de faixa etária, condições físicas e motoras</span> <span style="font-weight: 400;">diferentes.</span> <strong>Objetivo:</strong><span style="font-weight: 400;"> Analisar a situação dos passeios públicos comparando-os aos</span> <span style="font-weight: 400;">parâmetros e requisitos de acessibilidade a mobilidade nos mesmos. Havendo</span> <span style="font-weight: 400;">irregularidade, propor solução dentro da legislação federal e municipal vigente,</span> <span style="font-weight: 400;">respeitando a necessidade de tráfego bem como a segurança e conforto dos</span> <span style="font-weight: 400;">pedestres. </span><strong>Metodologia:</strong><span style="font-weight: 400;"> Adotou-se metodologia de cunho qualitativo por meio da pesquisa </span><span style="font-weight: 400;">campo para análise das calçadas do centro da cidade de Engenheiro </span><span style="font-weight: 400;">Caldas – MG bem como elaboração do protótipo de uma calçada ideal. </span><strong>Resultados: </strong><span style="font-weight: 400;">Através da pesquisa de campo, observou-se que, nas zonas de fluxo intenso e </span><span style="font-weight: 400;">emergentes há transitação de muitos pedestres nas avenidas. Pela pesquisa relata, </span><span style="font-weight: 400;">há uma paridade entre as irregularidades das calçadas como também o fator cultural </span><span style="font-weight: 400;">de ideia de transitação por meio dos pedestres.</span> <strong>Conclusão: </strong><span style="font-weight: 400;">Para as calçadas </span><span style="font-weight: 400;">analisadas, propõe-se como principais soluções e estratégias para melhorar seu </span><span style="font-weight: 400;">desempenho e visar a sua acessibilidade, como base, a sua reestruturação </span><span style="font-weight: 400;">respeitando os parâmetros normativos ao qual foi indicado um protótipo ideal a ser </span><span style="font-weight: 400;">seguido. Entretanto com a falta desses requisitos enfrentados pelos cidadãos, pode </span><span style="font-weight: 400;">acarretar inúmeros incidentes indesejados, o qual foi de grande eficiência propor </span><span style="font-weight: 400;">tais medidas preventivas de mudanças.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Geovanni Pascoal, João Victor Lemos, Mariana Alves Arruda, Pollyana Candido da Silva, Sara Moreira Lopes Addário https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/352 CENÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL NA CIDADE DE GOVERNADOR VALADARES DURANTE A PANDEMIA DA COVID-19 2023-05-22T12:44:00+00:00 Dayane Gonçalves Ferreira dayane.ferreira@univale.br Gleidlene Costa Andrade gleidlene.santos@univale.br Gerald Carlos Soares Bittencourt gerald.bittencourt@univale.br Ewerson Bicalho Carvalho ewerson.carvalho@univale.br <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">A construção civil foi impactada no período da pandemia de COVID-19 por decretos, mudanças em licitações, investimento em reformas, redução e paralisação das atividades entre outros fatores. O tema é complexo, posto que os estados e municípios adotaram diferentes medidas para combate à pandemia, e entender o panorama deste setor requer análises locais, regionais e nacionais. </span><strong>Objetivo:</strong><span style="font-weight: 400;"> Estudar o panorama da construção civil em Governador Valadares/MG, maior cidade do Vale do Rio Doce, identificando os principais impactos no período da pandemia, subsidiando profissionais e empresas que atuam na região. </span><strong>Metodologia:</strong><span style="font-weight: 400;"> Revisão bibliográfica; estudo das legislações municipal, estadual e federal que impactaram no setor; análise de custos e disponibilidade de insumos; coleta dos dados referente aos aspectos econômicos dos empreendimentos e as dificuldades de adaptação dos canteiros de obras por meio de questionário virtual. </span><strong>Resultados:</strong><span style="font-weight: 400;"> Entre as 47 empresas participantes, nota-se que o maior impacto foi vivenciado antes da inclusão do setor como atividade essencial, e após esta alteração, ao longo do ano houve melhora no setor, apesar das dificuldades de adequação dos serviços nos canteiros de obras e escritórios. Identificou-se mais contratações e manutenção de empregos, apesar do aumento sentido por todas as empresas ouvidas em relação aos insumos. </span><strong>Conclusão: </strong><span style="font-weight: 400;">O setor conseguiu se manter em crescimento, fomentado pelas obras de grande porte como também por obras públicas que em estados de calamidade se isentam de licitações o que foi de grande fomento para o setor. As principais mudanças foram adequações no canteiro de obras para manter distanciamento social, adequação de turnos de trabalho, disponibilidade de material e gerenciamento de prazos nas obras/serviços.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Dayane Gonçalves Ferreira, Gleidlene Costa Andrade, Gerald Carlos Soares Bittencourt, Ewerson Bicalho Carvalho https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/353 CONTRIBUIÇÕES DE UMA EXPERIÊNCIA DE CIÊNCIA CIDADÃ PARA A FORMAÇÃO DE FUTUROS ENGENHEIROS 2023-05-22T13:06:45+00:00 Renata Campos renata.campos@univale.br Guilherme Antunes guilherme.antunes1@aluno.ufop.edu.br Rafael Martins rafmartins.cbio@hotmail.com Alex Chavier alex.chavier@aluno.ufop.edu.br Henrique Fonseca henrique.fonseca@univale.br <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">A Ciência Cidadã tem se mostrado uma potente ferramenta para a produção de conhecimento científico por meio da interação entre cientistas e cidadãos não cientistas. </span><strong>Objetivo: </strong><span style="font-weight: 400;">Relatar uma experiência de Ciência Cidadã realizada pela parceria entre um grupo de pesquisadores de formação em ecologia, entomologia e parasitologia com estudantes do curso de Engenharia Civil e Ambiental da Univale. </span><strong>Metodologia: </strong><span style="font-weight: 400;">Os estudantes do segundo período da graduação foram convidados a investigar questões que lhes parecessem relevantes acerca da presença de vetores de arboviroses e possíveis relações com a engenharia. Os mesmos se organizaram em grupos de 5 pessoas e elegeram questões, hipóteses e formas de testar suas questões sob acompanhamento dos pesquisadores que, acompanharam também a execução da pesquisa em campo e laboratório e análise dos resultados. </span><strong>Resultados:</strong><span style="font-weight: 400;"> Os grupos conseguiram fazer investigações utilizando os </span><em><span style="font-weight: 400;">Aedes</span></em><span style="font-weight: 400;"> como modelo. Além da coleta de dados, comum a todos os níveis da Ciência Cidadã, os grupos organizaram seus projetos de modo coerente e rigoroso desde a pergunta até as conclusões. </span><strong>Conclusão:</strong><span style="font-weight: 400;"> Esta experiência possibilitou aos participantes construírem conhecimentos que relacionam engenharia, ambiente e a presença dos </span><em><span style="font-weight: 400;">Aedes</span></em><span style="font-weight: 400;">. Sobretudo, a experiência foi uma oportunidade de aprender sobre a importância no rigor da metodologia científica.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Renata Campos, Guilherme Antunes, Rafael Martins, Alex Chavier, Henrique Fonseca https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/354 CONSIDERAÇÕES SOBRE A REUTILIZAÇÃO DOS MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO CIVIL 2023-05-22T13:24:24+00:00 Geovanni Pascoal geovanni.pascoal@univale.br Barbara Poliana Campos Souza barbara.souza@univale.br João Victor Lemos joao.silva1@univale.br Pollyana Candido da Silva pollyana.silva@univale.br Rondinelly Geraldo Pereira rondinelly.pereira@univale.br <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">Mediante ao aumento da degradação ambiental pelo descarte</span> <span style="font-weight: 400;">inadequado dos resíduos gerados na construção civil, a utilização de novos</span> <span style="font-weight: 400;">materiais desenvolvidos pelo avanço tecnológico não é a única solução. Outro</span> <span style="font-weight: 400;">método que vem ganhando importância é a reutilização, que visa reaproveitar os</span>&nbsp;<span style="font-weight: 400;">materiais para outras diversas atividades dentro e fora da construção civil.</span> <strong>Objetivo:</strong><span style="font-weight: 400;"> Analisar, discutir e propor soluções através de estudos sistematizados para a</span> <span style="font-weight: 400;">reutilização dos resíduos gerados na construção civil. </span><strong>Metodologia:</strong><span style="font-weight: 400;"> Adotou-se uma</span> <span style="font-weight: 400;">metodologia de pesquisa com intuito de buscar referências bibliográficas contundentes</span> <span style="font-weight: 400;">e coerentes realizada como atividade dos projetos integradores VII e VIII do curso de</span> <span style="font-weight: 400;">Engenharia Civil da Univale.</span> <strong>Resultados:</strong><span style="font-weight: 400;"> Estudos evidenciam que, a reutilização</span> <span style="font-weight: 400;">dos materiais não consiste somente no pensar antes do descarte final. Um exemplo</span> <span style="font-weight: 400;">é a concepção estrutural por encaixe, que visa dar uma nova utilização ao material após o término de vida útil. Materiais quimicamente agressivos como o gesso, podem</span> <span style="font-weight: 400;">ser reutilizados na agricultura ou na concepção de placas decorativas. Por fim,</span> <span style="font-weight: 400;">podemos citar a demolição seletiva, que visa reaproveitar os materiais em novos</span> <span style="font-weight: 400;">projetos concebidos. </span><strong>Conclusão: </strong><span style="font-weight: 400;">Conclui-se que, é de suma importância conhecer</span> <span style="font-weight: 400;">as características químicas e físicas do materiais, pois, com isso, a criatividade</span> <span style="font-weight: 400;">trabalhe não somente para dar um destino final quanto a reutilização, mas, também</span> <span style="font-weight: 400;">desenvolver novos métodos que otimizam o pensar sobre a concepção e seu</span> <span style="font-weight: 400;">destino após o término de sua vida útil. Dessa forma, o descarte inadequado e a</span> <span style="font-weight: 400;">degradação ambiental por parte dos resíduos gerados pela construção civil irá</span> <span style="font-weight: 400;">diminuir.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Geovanni Pascoal, Barbara Poliana Campos Souza, João Victor Lemos, Pollyana Candido da Silva, Rondinelly Geraldo Pereira https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/355 CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL 2023-05-22T13:49:57+00:00 Lara Terramoto soft2172@gmail.com Margarida Campos magui.f.campos@gmail.com Daniela Ferreira dani3laferreira@gmail.com João P. Mar. Gouveia jopamago@isec.pt <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">Tendo em contas as mudanças significativas no que toca ao nosso ambiente e como se o deve preservar, a construção de edifícios sustentáveis está mais falada e procurada pelas próprias cidades e municípios. Cada vez mais se vê documentários e notícias de edifícios que não se adaptam às condições climáticas presentes e futuras. </span><strong>Objetivo:</strong><span style="font-weight: 400;"> Procura-se educar sobre a construção sustentável e dar a conhecer os motivos mais importantes para a sua implementação no mundo. </span><strong>Metodologia:</strong><span style="font-weight: 400;"> O trabalho foi elaborado de modo a promover a construção sustentável, “em base” de técnicas usadas em outros edifícios/ construções com o objetivo de compreender os benefícios deste tipo de construção. </span><strong>Resultados:</strong><span style="font-weight: 400;">&nbsp; A construção sustentável é um tópico de extrema relevância que teve o seu auge de atenção recentemente. Com as alterações climáticas e a preocupação pelo ambiente, procura-se cada vez mais acomodar-se dentro dos limites da sustentabilidade. Verifica-se um maior interesse neste tipo de construção devido à sua eficiência energética e durabilidade. </span><strong>Conclusão:</strong><span style="font-weight: 400;"> Após </span><em><span style="font-weight: 400;">variados trabalhos</span></em><span style="font-weight: 400;"> desenvolvidos com uma parceria entre a gestão e a engenharia, verifica-se a possibilidade através da tecnologia de construção atual desenvolver amplos projetos com elevada eficiência e de produzir construções com grande eficiência energética e de durabilidade consoante os critérios do&nbsp; nosso meio ambiente. Espera-se também que este assunto seja mais valorizado pelas grandes massas (empresas bem sucedidas) e que esteja na mente da população.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Lara Terramoto, Margarida Campos, Daniela Ferreira, João P. Mar. Gouveia https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/356 DESENVOLVIMENTO DE BETÕES DE ULTRA ELEVADO DESEMPENHO PARA FABRICO DE CASCAS 2023-05-22T14:09:16+00:00 Ana Rodrigues anacsr_9@outlook.com Hugo Costa hcosta@isec.pt Ricardo do Carmo carmo@isec.pt <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">As cascas finas de betão armado com uma forma livre são uma solução estrutural arquitectónicamente apelativa que pode ser usada para produzir coberturas de grandes áreas. Este tipo de cobertura foi bastante popular nos anos 60, mas foi</span> <span style="font-weight: 400;">praticamente abandonado nos anos seguintes devido à morosidade e aos custos</span> <span style="font-weight: 400;">associados ao seu processo construtivo. Para contornar estas desvantagens foi</span> <span style="font-weight: 400;">criado um consórcio para desenvolver uma solução pré-fabricada mais competitiva.</span> <span style="font-weight: 400;">Este projeto envolve várias etapas, tais como, otimização da geometria, estudo das</span> <span style="font-weight: 400;">ligações, aplicação do pré-esforço e desenvolvimento de um betão com</span> <span style="font-weight: 400;">características muito específicas, pois pretende-se que as cascas sejam finas,</span> <span style="font-weight: 400;">duráveis e não tenham armaduras ordinárias de reforço.</span> <strong>Objetivo:</strong> <span style="font-weight: 400;">Este estudo refere-se ao desenvolvimento e caracterização de betões de ultra elevada resistência (UHPC), reforçados com fibras, minimizando o custo e</span> <span style="font-weight: 400;">maximizando a sustentabilidade. </span><strong>Metodologia:</strong> <span style="font-weight: 400;">No processo de otimização da formulação do ecoUHPC procedeu-se à substituição das elevadas dosagens de cimento, características deste tipo de betões, por vários tipos de adições, variou-se as</span> <span style="font-weight: 400;">proporções e dimensões dos agregados, de forma a densificar a matriz, e variou-se</span> <span style="font-weight: 400;">ainda a quantidade e tipo de fibras (micro e macro fibras de aço, fibras poliméricas e</span> <span style="font-weight: 400;">fibras de vidro). </span><span style="font-weight: 400;">&nbsp;</span><strong>Resultados: </strong><span style="font-weight: 400;">As misturas desenvolvidas foram caracterizadas em termos de propriedades diferidas: retração e fluência; e em termos de parâmetros de</span> <span style="font-weight: 400;">durabilidade: resistência à carbonatação, migração de iões cloreto, resistividade</span> <span style="font-weight: 400;">elétrica, absorção capilar e penetração de água sob pressão.</span><span style="font-weight: 400;">&nbsp; </span><strong>Conclusão:</strong> <span style="font-weight: 400;">Os resultados demonstram que é possível minimizar o impacte económico e</span> <span style="font-weight: 400;">ambiental associado à produção do UHPC através da otimização da sua formulação,</span> <span style="font-weight: 400;">sem comprometer o desempenho exigido para a produção das cascas.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Ana Rodrigues, Hugo Costa, Ricardo do Carmo https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/357 DESENVOLVIMENTO DO AEDES AEGYPTI EM ÁGUA CONTAMINADA POR REJEITOS DE MINÉRIO DE FERRO 2023-05-22T14:27:47+00:00 Alexandre Junio Gonçalves Silva alexandrejuniogoncalves@gmail.com Nicholas Elizeu Lessa championnicholas@gmail.com Rodrigo Rodrigues de Oliveira rodrigocfn2020@gmail.com Vinicius Victor Pauli viniciusvictor.pf@gmail.com <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">O trabalho resulta de um experimento científico relacionado a testar as capacidades de proliferação do mosquito </span><em><span style="font-weight: 400;">Aedes Aegypt</span></em><span style="font-weight: 400;"> proposto na disciplina de Ecologia Básica e de Populações do curso de Engenharia Civil e Ambiental da Universidade Vale do Rio Doce. </span><strong>Objetivo: </strong><span style="font-weight: 400;">Verificar se há diferença no desenvolvimento do mosquito quando criado na água contaminada pela lama do rompimento da barragem de Fundão em 2015 e a água do Serviço Autônomo de Água e Esgoto - SAAE de Governador Valadares. </span><strong>Metodologia: </strong><span style="font-weight: 400;">Inicialmente, escolhemos um lugar próximo às margens do Rio Doce (Ilha dos Araújos) onde começamos a capturar os mosquitos; utilizamos ovitrampas (armadilhas) com 10 deles instalados no local com água do SAAE à distância de 1 metro entre cada. Após 1 semana retornamos ao local para a coleta dos potes, levamos todos para análise no laboratório de entomologia, onde anotamos o número de ovos que cada pote obteve, em seguida substituímos 5 das 10 ovitrampas por água do Rio Doce retiradas de sua margem perto da própria Univale, e as outras 5 continuaram com água tratada, esperando em seguida 1 semana para que os ovos eclodissem e os mosquitos nascerem e crescerem. </span><strong>Resultados: </strong><span style="font-weight: 400;">Foram vários dias de observação em laboratório, alimentação e averiguação do processo de proliferação; foi observado que todos nasceram no mesmo tempo e período, sem alteração em relação à água utilizada no experimento. </span><strong>Conclusão: </strong><span style="font-weight: 400;">Os resultados indicam que houve desenvolvimento de larvas igualmente nos dois tratamentos, e não houveram grandes diferenças na facilidade dos mosquitos de se desenvolverem na água tratada, ou na água contaminada por rejeitos de minério de ferro. O que se percebe é que nos mosquitos criados em água tratada, houve uma maior quantidade de fêmeas que conseguiram se desenvolver até a fase adulta comparando com os machos, sendo estas as transmissoras de doenças. É possível perceber que a presença de contaminantes na água do rio Doce não impossibilita nem atrapalha o desenvolvimento do mosquito vetor de doenças.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Alexandre Junio Gonçalves Silva, Nicholas Elizeu Lessa, Rodrigo Rodrigues de Oliveira, Vinicius Victor Pauli https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/358 DESENVOLVIMENTO E CARACTERIZAÇÃO DAS PROPRIEDADES MEC NICAS DE UHPC PARA USO NA PRÉ-FABRICAÇÃO 2023-05-22T14:41:41+00:00 Tiago Rodrigues rodrigues.soares.tiago@gmail.com Hugo Costa hcosta@isec.pt Ricardo do Carmo carmo@isec.pt <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">O desenvolvimento de soluções pré-fabricadas com recurso a betões de ultra elevado desempenho (UHPC) permite produzir elementos de menor dimensão, mais esbeltos e mais leves. A elevada resistência mecânica deste tipo de betões resulta do uso de elevadas quantidades de cimento (1200 kg/m</span><span style="font-weight: 400;">3</span><span style="font-weight: 400;">), que proporciona uma elevada densidade à matriz, e do reforço com fibras, fatores que aumentam significativamente o custo e o impacto ambiental associado à sua produção. </span><strong>Objetivo: </strong><span style="font-weight: 400;">Este trabalho tem como principais objetivos: produzir UHPC com uma quantidade reduzida de cimento (600 kg/m</span><span style="font-weight: 400;">3</span><span style="font-weight: 400;">), mantendo as características mecânicas, usando diferentes adições e fibras (máx. 2%); estudar a influência de diferentes tipos de fibras nas propriedades mecânicas (micro e macro fibras metálicas, fibras poliméricas e de vidro). </span><strong>Metodologia: </strong><span style="font-weight: 400;">Para a caracterização das propriedades mecânicas foram realizados vários ensaios, de acordo com as normas, para determinar as resistências à compressão, tração simples, tração pura, tração por compressão diametral e por flexão, o módulo de elasticidade, a energia de fratura e a tensão residual. </span><strong>Resultados: </strong><span style="font-weight: 400;">Os resultados mostram a forte influência das fibras nas propriedades mecânicas, verificando-se que as maiores resistências são obtidas com o uso das macro-fibras metálicas e que a utilização de uma solução híbrida, fibras poliméricas e de vidro, diminui a resistência à tração, comparativamente às misturas produzidas com outro tipo de fibras. </span><strong>Conclusão: </strong><span style="font-weight: 400;">Em conclusão, este trabalho demonstra que é possível reduzir para 600 kg/m</span><span style="font-weight: 400;">3</span><span style="font-weight: 400;"> a quantidade de cimento necessária à produção de um UHPC, incorporando fibras e adições e mantendo as propriedades mecânicas de um UHPC convencional, resultando assim numa solução mais económica e sustentável.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Tiago Rodrigues, Hugo Costa, Ricardo do Carmo https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/363 DO SOLO DA ESCAVAÇÃO AO TIJOLO DA CONSTRUÇÃO 2023-05-22T16:16:06+00:00 Mariana Alves Arruda mariana.arruda@univale.br João Victor Lemos Silva joao.silva1@univale.br Sara Moreira Lopes Addário sara.addario@univale.br Anderson Caetano Gusmão anderson.gusmao@univale.br <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">A construção civil é responsável por uma elevada produção de resíduos provenientes de canteiros de obras, sendo assim, é necessário a gestão e implantação do reuso desse material.&nbsp; Tendo em vista essa realidade, foi realizado uma análise técnica de um solo proveniente da escavação de uma obra no Centro, da cidade de Governador Valadares-MG, verificando suas características físicas e o possível reuso para a produção de tijolos de solo-cimento. </span><strong>Metodologia:</strong><span style="font-weight: 400;"> Utilizou-se o método experimental-qualitativo, que consiste na realização de ensaios de caracterização física das amostras&nbsp;de solo (Limites de Atterberg e granulometria por peneiramento), dosagem experimental, confecção dos tijolos em prensa mecânica e controle tecnológico. </span><strong>Resultados:</strong><span style="font-weight: 400;"> Cada solo se comporta fisicamente de maneiras distintas. Visando o melhor traço para a confecção dos blocos, foram feitos diversos testes, no entanto como este material é completamente arenoso (90% areia) não obteve-se coesão suficiente para desformar os blocos com os traços experimentados em massa (1:5 e 1:3) </span><strong>Conclusão:</strong><span style="font-weight: 400;"> Os resultados apontam que a proporção granulométrica do solo escavado do canteiro de obra em questão, não atende as especificações técnicas de produção do tijolo solo-cimento. Todavia, essa negativa não inviabiliza o conceito do reuso do solo, pois conforme ensaios apontam, este solo é propício a areia utilizada em argamassa e concreto. Nesse sentido, existe a possibilidade de ser utilizado para tais fins durante o processo de construção.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Mariana Alves Arruda, João Victor Lemos Silva, Sara Moreira Lopes Addário, Anderson Caetano Gusmão https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/364 ENGENHARIA SIMULTÂNEA 2023-05-22T16:29:02+00:00 Jackson de Paula Rocha jackson.paula@univale.br Mateus Contim Ramos mateus.ramos@univale.br Rafael Silva Reis rafael.reis1@univale.br Renata Barbosa Correa renata.correa@univale.br <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">O surgimento de novas tecnologias e a crescente complexidade dos</span> <span style="font-weight: 400;">produtos, entre outros fatores, resultam em aumento do lead time de</span> <span style="font-weight: 400;">desenvolvimento de produtos. No entanto, para se manterem competitivas, as</span> <span style="font-weight: 400;">empresas precisam lançar novos produtos em espaços de tempo cada vez menores.</span> <span style="font-weight: 400;">Nesse sentido, as empresas passaram a procurar formas de reduzir seu ciclo de</span> <span style="font-weight: 400;">desenvolvimento de produtos.</span> <strong>Objetivo:</strong> <span style="font-weight: 400;">Este trabalho tem como objetivo definir os</span> <span style="font-weight: 400;">conceitos de Engenharia Simultânea com base nos conceitos de modelagem de</span> <span style="font-weight: 400;">processos de negócio. </span><strong>Metodologia:</strong> <span style="font-weight: 400;">Para realização da pesquisa, foi utilizada a</span> <span style="font-weight: 400;">técnica de estudo de caso de forma qualitativa, o que nos permitiu a possibilidade de</span> <span style="font-weight: 400;">analisar os problemas e avaliar detalhadamente as necessidades de aplicar melhoria</span> <span style="font-weight: 400;">contínua nos processos.</span> <strong>Resultados:</strong> <span style="font-weight: 400;">Os resultados obtidos foram consideráveis,</span> <span style="font-weight: 400;">observando um grande salto em desempenho. Foi percebido que estas empresas</span> <span style="font-weight: 400;">optaram por não implementar todas as ferramentas da engenharia simultânea, pois</span> <span style="font-weight: 400;">quando se concentra o foco, limitando o número de objetivos, as chances de atingi-los aumenta. </span><strong>Conclusão: </strong><span style="font-weight: 400;">Diante de um mercado consumidor cada vez mais</span> <span style="font-weight: 400;">competitivo, as empresas vêem-se forçadas a buscar formas de se sobressair às demais. Nesta busca de melhoria de seus produtos, surgiu a metodologia da</span> <span style="font-weight: 400;">engenharia simultânea, visando atrelar as necessidades dos clientes ao que a</span> <span style="font-weight: 400;">empresa pode ofertar, minimizando o tempo de projeto e manufatura, entregando</span> <span style="font-weight: 400;">um produto de qualidade e menor custo. Através da revisão bibliográfica</span> <span style="font-weight: 400;">apresentada no presente trabalho, verifica-se que a engenharia simultânea é uma</span> <span style="font-weight: 400;">ferramenta importante no processo de melhoria do desenvolvimento de projetos nas</span> <span style="font-weight: 400;">empresas que a utilizam, pois possibilita sua competitividade no mercado atual,</span> <span style="font-weight: 400;">onde várias empresas morrem por obsolescência de sua gestão.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Jackson de Paula Rocha, Mateus Contim Ramos, Rafael Silva Reis, Renata Barbosa Correa https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/365 ESTATICIDADE DAS ESTRUTURAS 2023-05-22T16:47:49+00:00 Beatriz Alexandra Paiva Monteiro monteiro.b.a.paiva@gmail.com Danilo Chimina Ferreira danychimina22@gmail.com Fernanda Costa Neves Bomfim fercostaneves@gmail.com Josteus Fula Bungo fulajose33@gmail.com João P. Mar. Gouveia jopamago@isec.pt <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">Os</span> <span style="font-weight: 400;">projetos de estabilidade modernos possuem um conhecimento amplo e detalhado que possibilitam prever com precisão o desempenho dos diferentes materiais usados ​​nas estruturas para resistir a tensões e limitar as deformações. </span><span style="font-weight: 400;">A estabilidade é parte primordial para a execução de um bom projeto. </span><strong>Objetivo:</strong><span style="font-weight: 400;"> Apresentar uma técnica de trabalho para determinar a estabilidade</span> <span style="font-weight: 400;">de uma estrutura, visando assegurar a requisitos e princípios de segurança e as boas práticas na intervenção em estruturas de engenharia civil.&nbsp; </span><strong>Metodologia:</strong><span style="font-weight: 400;"> Este trabalho, baseia-se na pesquisa explicativa através de fontes primárias, netgrafia, análise de imagens de exemplos reais, apoio dos documentos de aula para apresentar em formato qualitativo os resultados que evidenciam a importância da estaticidade aplicada à construção civil e execução segura das estruturas. </span><strong>Resultados:</strong><span style="font-weight: 400;"> Foi possível obter os seguintes resultados: entender com clareza o que é a estaticidade e qual é a sua importância na engenharia civil; perceber que as estruturas de um edifício só se mantêm estáveis graças à garantia de equilíbrio asseguradas pelo cumprimento dos princípios da estaticidade e&nbsp; das condições de equilíbrio para que se possam aplicar no estudo de apoios; entender que, para que a edificação fique estável e segura é necessário que se tenha noções sobre a estaticidade; identificando noções práticas sobre as diferentes tipologias estaticidade: estrutura hipostáticas, isostáticas e hiperestáticas. </span><strong>Conclusão:</strong><span style="font-weight: 400;"> Verifica-se a importância do equilíbrio estático aplicando os conceitos de estruturas referidos permitindo ainda avaliar o desempenho mecânico e de comportamento estrutural de elementos, assegurando um adequado dimensionamento para posterior execução em obra.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Beatriz Alexandra Paiva Monteiro, Danilo Chimina Ferreira, Fernanda Costa Neves Bomfim, Josteus Fula Bungo, João P. Mar. Gouveia https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/366 ESTRUTURA METÁLICA COMO ALTERNATIVA PARA COBERTURA DE EDIFICAÇÃO HABITACIONAL EM AGLOMERADO URBANO 2023-05-22T17:13:58+00:00 Carlos Roberto a Cunha Matias carlos.matias@univale.br Evandro Mamedes Costa evandro.costa@univale.br Lidianne Gama Cabral lidianne.cabral@univale.br Rondinelly Geraldo Pereira rondinelly.pereira@univale.br <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">O telhado pode ser fonte de problemas para as residências em aglomerados urbanos, tais como infiltrações, manifestações de pragas e falhas estruturais, entre outros. Esses problemas foram identificados em cobertura de residência localizada no bairro Carapina de Governador Valadares, em área conhecida como Buracão, e a busca para solução para essa cobertura foi objeto de estudo de Trabalho de Conclusão de Curso de Engenharia Civil na Univale. </span><strong>Objetivo:</strong><span style="font-weight: 400;"> Apresentar os benefícios da utilização de cobertura metálica em edificação habitacional localizada em aglomerado urbano. </span><strong>Metodologia:</strong><span style="font-weight: 400;"> Relato de experiência acadêmica, tendo como base a realização de atividades práticas. </span><strong>Resultados:</strong><span style="font-weight: 400;"> A primeira intervenção realizada foi a elevação do pé-direito da edificação. Em seguida foram realizadas as substituições da estrutura de madeira do telhado pela estrutura metálica em perfil dobrado de aço carbono. Em continuidade, foram instaladas telhas termoacústicas, tipo sanduíche composta de duas camadas externas de telha metálica galvalume de 0,43mm de espessura e uma camada interna em poliestireno de 30mm de espessura. Esse sistema proporciona conforto térmico e isolamento acústico. As telhas são mais resistentes a impactos de objetos lançados sobre o telhado, ações comuns nas edificações da região. </span><strong>Conclusão:</strong><span style="font-weight: 400;"> As coberturas metálicas possuem diversas vantagens, tais como durabilidade, custo-benefício, alívio de sobrecarga na edificação e, principalmente, nesse caso específico, a viabilização da execução do projeto tendo em vista que as intervenções necessitavam ser realizadas em menor tempo considerando o período chuvoso da ocasião, além da possibilidade de reuso de perfis metálicos e aparas de telhas que foram doados por voluntários. </span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Carlos Roberto a Cunha Matias, Evandro Mamedes Costa, Lidianne Gama Cabral, Rondinelly Geraldo Pereira https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/368 ESTRUTURAS EM ARCOS DE TETOS ATEMPORAIS 2023-05-22T17:43:17+00:00 Hosana Apolinária de Jesus osana.jesus@univale.br Guilherme Ferreira dos Santos guilherme.ferreira@univale.br Vivian Cristina Lopes Rocha vivian.rocha@univale.br Dayane Gonçalves Ferreira dayane.ferreira@univale.br <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">As cúpulas são estruturas de superfície esférica com planta baixa circular construídas de blocos sobrepostos, e que normalmente apresentam a forma de uma porção esférica, construídas de modo a transmitir empuxos iguais em todas as direções.&nbsp; Semelhante a um arco girado, a não ser pelo fato de que as forças circunferenciais geradas são de compressão, perto da coroa, e de tração, na parte mais baixa. É um modelo de teto em forma de semiesfera, tanto voltado para o exterior como interior. </span><strong>Objetivo:</strong><span style="font-weight: 400;"> Analisar como cúpulas, estruturas usadas para cobertura, funcionam e de que maneira podem ser aplicadas. </span><strong>Metodologia:</strong><span style="font-weight: 400;"> Foram realizados estudos em sala de aula, pesquisa em fontes bibliográficas e discussões sobre o tema na disciplina de Sistemas Estruturais do curso de Arquitetura e Urbanismo. </span><strong>Resultados:</strong><span style="font-weight: 400;"> As cúpulas são estruturas que possuem como vantagens a resistência às intempéries, leveza, resistência, construção rápida e limpa, e, em termos de execução, é relativamente fácil e rápida, além de possibilitar grandes vãos livres. As desvantagens são a dificuldade de encontrar esquadrias e a necessidade de procedimentos diferenciados na impermeabilização em relação às estruturas tradicionais. </span><strong>Conclusão:</strong><span style="font-weight: 400;"> Ao finalizar este estudo, podemos observar que as cúpulas são estruturas atemporais, que vem sendo utilizadas durante séculos, especialmente em construções como igrejas, museus, mausoléus e estufas, mostrando seu potencial como solução arquitetônica e estrutural, para uma diversidade de projetos.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Hosana Apolinária de Jesus, Guilherme Ferreira dos Santos, Vivian Cristina Lopes Rocha, Dayane Gonçalves Ferreira https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/369 ESTUDO CONCEITUAL DE SISTEMAS ESTRUTURAIS 2023-05-22T17:53:50+00:00 Amílcar Souza Felipe da Silva amilcar.silva@univale.br Juliana Dias Gonçalves Fernandes liana.fernandes@univale.br Vanessa Taborda Soare vanessa.soares@univale.br Dayane Gonçalves Ferreira dayane.ferreira@univale.br <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">As cascas são estruturas arquitetônicas curvilíneas com pequena espessura e boa capacidade de resistência a esforços por compressão. São frequentemente usadas em coberturas de grandes vãos e se destacam esteticamente, porém não se sujeitam a grandes esforços pontuais. </span><strong>Objetivo: </strong><span style="font-weight: 400;">Compreender o conceito, características, vantagens e desvantagens, utilização e exemplos de aplicação das cascas enquanto elementos estruturais e arquitetônicos.&nbsp; </span><strong>Metodologia: </strong><span style="font-weight: 400;">Pesquisa realizada a partir de revisão bibliográfica. </span><strong>Resultados:</strong><span style="font-weight: 400;"> O estudo implicou na elaboração de trabalho acadêmico no formato de resumo e apresentação em sala de aula para a disciplina de Sistemas Estruturais por alunos do 4º período do curso de Arquitetura e Urbanismo da Univale. Neste estudo o comportamento estrutural das cascas foi explicado a partir das teorias da membrana e da flexão. Identificaram-se as seguintes vantagens do sistema estrutural: menor dependência do consumo de materiais; resistência a grandes cargas de compressão; valor arquitetônico e funcional; resistência a ações acidentais e naturais agressivas. E como desvantagens: pouca resistência à tração e às cargas concentradas; formato limitador do uso; exigência de manutenção constante. </span><strong>Conclusão: </strong><span style="font-weight: 400;">A análise dessas estruturas a partir de revisão bibliográfica foi essencial para consolidar e aprofundar o aprendizado sobre o tema em Sistemas Estruturais.&nbsp;</span></p> <p><span style="font-weight: 400;">Seu uso é difundido desde a Antiguidade e contribuiu para consagrar a arquitetura brasileira na vanguarda do modernismo no século XX.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Amílcar Souza Felipe da Silva, Juliana Dias Gonçalves Fernandes, Vanessa Taborda Soare, Dayane Gonçalves Ferreira https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/370 ESTUDOS PRELIMINARES EM PONTES DE PALITO DE PICOLÉ 2023-05-22T18:09:11+00:00 João Victor L. Silva joao.silva1@univale.br Sara Addario sara.addario@univale.br Mariana Alves Arruda mariana.arruda@univale.br Geovanni Pascoal geovanni.pascoal@univale.br João Fernando Paixão joao.paixao@univale.br <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">A vida acadêmica proporciona diversos meios e modos de</span> <span style="font-weight: 400;">aprendizagem. Visando um melhor entendimento dos conceitos empregados em</span> <span style="font-weight: 400;">sala de aula, foi proposto uma competição entre os alunos na qual devem</span> <span style="font-weight: 400;">confeccionar uma ponte com palitos de picolé e dimensionar suas cargas de</span> <span style="font-weight: 400;">serviços atuantes por meio de softwares.</span> <strong>Objetivo:</strong> <span style="font-weight: 400;">Visar o melhor e mais eficiente</span> <span style="font-weight: 400;">método de construção de pontes com palitos de picolé. Relatar resultados obtidos</span> <span style="font-weight: 400;">nas análises de estudo.</span> <strong>Metodologia:</strong> <span style="font-weight: 400;">Estudo elaborado a partir das atividades da</span> <span style="font-weight: 400;">disciplina Estruturas Hiperestática do curso de Engenharia Civil e Ambiental e da</span> <span style="font-weight: 400;">Competição Ponte de Palito de Picolé da Univale. Utilizou-se o método de ensaios</span> <span style="font-weight: 400;">de compressão em prensa hidráulica digital, em diversos corpos de prova com</span> <span style="font-weight: 400;">camadas distintas, realização do protótipo no software Ftool e execução da ponte</span> <span style="font-weight: 400;">por meio de projeto.</span> <strong>Resultados: </strong><span style="font-weight: 400;">Observou-se que os resultados obtidos são</span> <span style="font-weight: 400;">bastante lineares, um conjunto de 3 camadas de palitos se rompe com</span> <span style="font-weight: 400;">aproximadamente 330 kgf sendo 110 kgf por camada. Este padrão se repete em</span> <span style="font-weight: 400;">todos os ensaios realizados, para quatro camadas 440 Kgf, para cinco, 550 Kgf e</span> <span style="font-weight: 400;">para seis, 660 kgf. Analisando os modelos estruturais no programa Ftool constatou</span> <span style="font-weight: 400;">que pontes de treliças tem um melhor desempenho estrutural.</span> <strong>Conclusão:</strong> <span style="font-weight: 400;">Quantidade de camadas do projeto pode ser escolhido em conjunto com análise no</span> <span style="font-weight: 400;">software </span><span style="font-weight: 400;">auxiliar de ensino do comportamento estrutural de treliças planas, Ftool e</span> <span style="font-weight: 400;">observação dos valores suportados por camadas nos ensaios de compressão.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 João Victor L. Silva, Sara Addario, Mariana Alves Arruda, Geovanni Pascoal, João Fernando Paixão https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/371 GESTÃO DE CUSTOS 2023-05-22T18:23:03+00:00 Jackson de Paula Rocha jackson.paula@univale.br Mateus Contim Ramos mateus.ramos@univale.br Rafael Silva Reis rafael.reis1@univale.br Renata Barbosa Correa renata.correa@univale.br <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">A contabilidade financeira teve seu desenvolvimento na Era</span> <span style="font-weight: 400;">Mercantilista, com a predominância da atividade comercial, a única preocupação</span> <span style="font-weight: 400;">com os custos era verificar quanto se pagou pela mercadoria e consequentemente</span> <span style="font-weight: 400;">qual seria o valor para venda, que, na maioria das vezes, era calculado</span> <span style="font-weight: 400;">simplesmente aplicando um percentual em cima do valor de compra.</span> <strong>Objetivo:</strong> <span style="font-weight: 400;">O</span> <span style="font-weight: 400;">custo padrão tem como objetivo auxiliar o administrador com base em comparações</span> <span style="font-weight: 400;">sobre os custos ocorridos durante o processo de produção (custo real) e o que</span> <span style="font-weight: 400;">deveria ter ocorrido. </span><strong>Metodologia:</strong> <span style="font-weight: 400;">Para realização da pesquisa, foi utilizada a</span> <span style="font-weight: 400;">técnica de estudo de caso de forma qualitativa, o que nos permitiu a possibilidade de</span> <span style="font-weight: 400;">analisar os problemas e avaliar detalhadamente as necessidades de aplicar melhoria</span> <span style="font-weight: 400;">contínua nos processos. A forma de pesquisa realizada foi a de coleta de dados e</span> <span style="font-weight: 400;">informações do funcionamento dos processos, procedimentos adotados.</span> <strong>Resultados:</strong> <span style="font-weight: 400;">Com sede no Brasil, uma das maiores mineradoras do mundo, líder na</span> <span style="font-weight: 400;">produção de minério de ferro, presente em 37 países e 14 estados brasileiros, a</span> <span style="font-weight: 400;">“ELAV” é uma empresa global, dividida em vários segmentos de extração como:</span> <span style="font-weight: 400;">carvão, cobre, energia, fertilizantes, minério de ferro, logística, manganês, níquel, metais preciosos e siderurgia. A DIFC é uma diretoria de suma importância para as</span> <span style="font-weight: 400;">tomadas de decisões da empresa “ELAV” em sua gestão. </span><strong>Conclusão: </strong><span style="font-weight: 400;">Concluímos</span> <span style="font-weight: 400;">que a Contabilidade de custo com o passar dos anos deixou de ser uma ciência que</span> <span style="font-weight: 400;">tratava apenas para definir custos de estoque ou valor de mercadoria a ser vendida</span> <span style="font-weight: 400;">e passou a ser uma ferramenta que auxilia a gestão empresarial, principalmente</span> <span style="font-weight: 400;">nas tomadas de decisões, passou a ser um suporte para as principais decisões</span> <span style="font-weight: 400;">gerenciais das empresas.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Jackson de Paula Rocha, Mateus Contim Ramos, Rafael Silva Reis, Renata Barbosa Correa https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/372 IMPACTO DA POLUIÇÃO POR LAMA DE REJEITOS DE MINERAÇÃO SOBRE AS FORMIGAS DE ÁREAS CILIARES NO MÉDIO RIO DOCE 2023-05-22T18:37:36+00:00 Daniela Carvalho Oliveira aniela.oliveira@univale.br <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">Em novembro de 2015, o sudeste brasileiro experimentou seu pior desastre ambiental em tempos recentes, e o pior desta natureza no mundo nos últimos 100 anos. A barragem de Fundão, de rejeitos de mineração de ferro, pertencente à Mineradora Samarco, em Mariana, MG, rompeu subitamente, descarregando 62 milhões de toneladas de rejeitos semissólidos que assolaram o distrito de Bento Rodrigues, e depois invadiram toda a Bacia do Rio Doce. A lama tóxica encheu canais navegáveis ao longo de todos os 663,2 km do Rio Doce até o oceano, destruindo biota aquática e ribeirinha, e outros recursos naturais insubstituíveis (Fernandes et al. em avaliação – Mine Water and the Environment). No alto Rio Doce, e nos afluentes imediatamente abaixo do acidente, toda a vegetação ciliar foi destruída, arrastada e o solo nativo coberto por espessa camada de lama. No médio Rio Doce, a pluma de lama percolou solo acima, contaminando as margens e as florestas ribeirinhas, mesmo que estas permaneçam intactas. Há perdas irreversíveis de biodiversidade e funcionalidade de ecossistemas. </span><strong>Objetivo:</strong><span style="font-weight: 400;"> Avaliar impactos sobre a microfauna das áreas ciliares do Rio Doce afetadas pelo derramamento de lama vinda da barragem de rejeitos de mineração da SAMARCO. </span><strong>Metodologia:</strong><span style="font-weight: 400;"> Os estudos serão conduzidos em oito áreas, pertencentes a regiões da Bacia do Rio Doce (Médio Rio Doce), será feito um estudo de campo com formigas indicadoras. Para a coleta de formigas serão plotados dois transectos de 250 metros de extensão em cada uma das áreas amostrais. </span><strong>Resultados:</strong><span style="font-weight: 400;"> Espera-se compreender aspectos da distribuição de espécies de formigas associadas às áreas estudadas por meio da comparação da fauna das áreas afetadas pela lama com áreas controle, provenientes de nossos estudos prévios realizados dentro do mesmo ecossistema. </span><strong>Conclusão:</strong><span style="font-weight: 400;"> Para a identificar os impactos dos rejeitos de mineração, a composição, riqueza e abundância de espécies de formigas coletadas nas áreas “com rejeito" serão comparadas com a composição, riqueza e abundância de espécies coletadas nas áreas “sem rejeito”.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Daniela Carvalho Oliveira https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/373 INFRAESTRUTURA URBANA 2023-05-22T18:47:44+00:00 Caroline Candido Oliveira carolcandidooliveira@outlook.com Élida Kécia Nunes Lima elidak_lima@hotmail.com Giovanni Tavares Neves giovannitneves@gmail.com Dayane Gonçalves Ferreira dayane.ferreira@univale.br Arthur Campos Coelho arthur.coelho@univale.br <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">As vias públicas pavimentadas são fundamentais para o funcionamento das cidades, garantindo deslocamento com segurança e conforto. Sua falta de planejamento ou má execução implica na organização da cidade e na qualidade de vida dos usuários. A parte alta do bairro Nova Vila Bretas em Governador Valadares/MG tem apresentado diversas patologias em suas vias, causando transtornos à população local. </span><strong>Objetivo:</strong><span style="font-weight: 400;"> O objetivo deste estudo foi avaliar a infraestrutura das vias da parte alta deste bairro, a fim de identificar os impactos para os residentes e para o poder público municipal. </span><strong>Metodologia:</strong><span style="font-weight: 400;"> Como metodologia, foram levantados dados para caracterização inicial do bairro e aplicados um questionário e o método do grupo focal para conhecimento da percepção dos moradores. Após a realização de visitas in loco, foram levantadas as patologias das vias pelo procedimento DNIT 006/2003-PRO para classificação do índice de severidade/gravidade. Finalmente, foi proposta a repavimentação de duas ruas de estudo, por meio da orçamentação, como estimativa de custo para o poder público. </span><strong>Resultados:</strong><span style="font-weight: 400;"> Os resultados apontam para a insatisfação da população quanto à qualidade da infraestrutura viária, o elevado grau de degradação das ruas estudadas, sendo que 9 das 10 vias analisadas foram classificadas como péssimas pela norma, bem como altos valores com que o poder público deve arcar para recomposição do pavimento. </span><strong>Conclusão:</strong><span style="font-weight: 400;"> Conclui-se que a condição do pavimento afeta diretamente a qualidade de vida da população, e sua má concepção ou execução geram despesas ao poder público que poderiam ser evitadas.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Caroline Candido Oliveira, Élida Kécia Nunes Lima, Giovanni Tavares Neves, Dayane Gonçalves Ferreira, Arthur Campos Coelho https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/374 LEVANTAMENTO DE ARTIGOS BRASILEIROS SOBRE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS 2023-05-22T19:02:48+00:00 João Pedro Gonçalves Souza joao.goncalves@univale.br Leonardo Alves Breguêz Santos leonardo.santos@univale.br Pollianna Robert Soares pollianna.soares@univale.br Thiago Martins Santos thiago.santos@univale.br <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">O gerenciamento de resíduos sólidos no Brasil necessita avançar&nbsp; em sua execução. De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei Nº 12.305/2010), a redução da geração e o descarte correto são prioridades para o manejo eficaz de resíduos sólidos. Esse desafio implica na produção de pesquisas sobre o assunto, especialmente por pesquisadores da área da Engenharia Civil e Ambiental. </span><strong>Objetivo: </strong><span style="font-weight: 400;">Discutir como vêm sendo pensadas as pesquisas sobre gerenciamento de resíduos sólidos no Brasil. </span><strong>Metodologia: </strong><span style="font-weight: 400;">Foi feito um levantamento de artigos científicos em revistas nacionais com Qualis A e que fazem referência, no título e no resumo, ao termo resíduos sólidos. Selecionamos trinta e, desses, dez artigos que compartilham nos seus resumos gerenciamento, coleta de resíduos sólidos, programas sociais e manejos sustentáveis. Filtramos os dez artigos que mais se relacionam ao propósito do projeto de Trabalho de Conclusão de Curso do grupo de autores deste resumo. </span><strong>Resultados: </strong><span style="font-weight: 400;">Os resultados mostram um crescimento de trabalhos que abordam o gerenciamento de resíduos sólidos nos últimos anos com estudos voltados para coleta seletiva como alternativa para o tratamento de resíduos sólidos urbanos de maneira sustentável. </span><strong>Conclusão: </strong><span style="font-weight: 400;">As pesquisas sobre gerenciamento de resíduos sólidos tornaram-se relevantes na área da Engenharia Civil e Ambiental devido à necessidade de redução de consumo e destinação final adequada para cada tipo de resíduo gerado, de acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, onde com o avanço da tecnologia surgem novas técnicas e alternativas sustentáveis para o tratamento ou até mesmo para a reciclagem do material gerado.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 João Pedro Gonçalves Souza, Leonardo Alves Breguêz Santos, Pollianna Robert Soares, Thiago Martins Santos https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/375 LEVANTAMENTO DE PESQUISAS SOBRE REUTILIZAÇÃO DE REJEITOS DE MINERAÇÃO EM TRAÇOS DE CONCRETO 2023-05-22T19:25:27+00:00 Gabriel Guilherme Silva gabriel.guilherme@univale.br Karolayny de Oliveira Martins karolayny.martins@univale.br Nathália Carvalho Neto Freitas nathalia.freitas@univale.br Thiago Martins Santos thiago.santos@univalel.br <p><strong>Introdução:</strong><span style="font-weight: 400;"> A pesquisa no trabalho acadêmico é de notável importância, pois coloca o pesquisador a duvidar, questionar e investigar determinado tema proposto, com a finalidade de solucionar problemas e tentar encontrar uma possível resposta. Depois de concluída, a pesquisa servirá como base para outros pesquisadores iniciarem outros estudos. </span><strong>Objetivo:</strong><span style="font-weight: 400;"> O presente trabalho tem como objetivo discutir como vêm sendo pensadas as pesquisas sobre reutilização de rejeitos de mineração em sua relação com o ensaio em corpos de prova de concreto. </span><strong>Metodologia:</strong><span style="font-weight: 400;"> Foram levantados trinta artigos científicos em revistas com Qualis entre A1 e B1 que fazem referência no título, no resumo e/ou nas palavras-chave aos conceitos de mineração, reutilização de rejeitos e testes em corpo de prova de concreto e, posteriormente, selecionados os dez artigos melhor relacionados ao tema do projeto de Trabalho de Conclusão de Curso dos autores deste resumo. </span><strong>Resultados:</strong><span style="font-weight: 400;"> Os resultados mostram uma tendência tímida de crescimento do número de pesquisas que abordam a reutilização da lama de mineração na construção civil, sendo que as temáticas história e uso de rejeitos de mineração, estudo e alteração de traços de concreto, e avaliação ao desempenho no cisalhamento em corpos de prova de concreto são as que embasam os trabalhos levantados. </span><strong>Conclusão: </strong><span style="font-weight: 400;">As poucas pesquisas levantadas que correlacionam as áreas citadas podem indicar que a reutilização de rejeitos de mineração em traços de concreto é um recente interesse de estudos no campo da construção civil.&nbsp;</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Gabriel Guilherme Silva, Karolayny de Oliveira Martins, Nathália Carvalho Neto Freitas, Thiago Martins Santos https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/376 MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO QUE DEVEM SER RECUSADOS 2023-05-22T19:36:35+00:00 Tiago Braga de Oliveira tiagobragagv@outlook.com Bárbara Poliana Campos Sousa barbara.campos@univale.com.br Rondinelly Geraldo Pereira rondinelly.pereira@univalel.com.br Denise Coelho de Queiroz denise.coelho@univale.com.b <p>&nbsp;</p> <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">Alguns materiais utilizados na construção civil podem ocasionar problemas às edificações, ao meio ambiente e à saúde das pessoas. O uso desses materiais deve ser recusado pelos profissionais da área, priorizando a utilização de materiais que atendam às normas, sejam eficientes e preferencialmente sustentáveis. </span><strong>Objetivo:</strong><span style="font-weight: 400;"> Identificar os materiais de construção que devem ser recusados, tendo em vista os impactos socioambientais negativos que os mesmos podem ocasionar. </span><strong>Metodologia:</strong><span style="font-weight: 400;"> Pesquisa bibliográfica, realizada como componente dos projetos integradores VII e VIII do curso de Engenharia Civil da Univale. </span><strong>Resultados: </strong><span style="font-weight: 400;">O ato de recusar alguns tipos de materiais de construção está diretamente ligado a fatores negativos que os mesmos podem ocasionar. Muito utilizado na fabricação de telhas e reservatório para água no passado, o amianto é um exemplo de material a se recusar, tendo em vista que estudos apontam que a utilização deste material pode ser altamente prejudicial à saúde. Madeira sem certificado de origem ou tratada utilizando arseniato de cobre cromatado, além de insumos que contenham compostos orgânicos voláteis em sua composição, também devem ser recusados, de modo a contribuir para preservação do meio ambiente e da saúde das pessoas. </span><strong>Conclusão:</strong><span style="font-weight: 400;"> Materiais não certificados ou que não atendam as normas, devem ser recusados, uma vez que não existem garantias quanto à qualidade, origem e durabilidade dos materiais e insumos utilizados em sua fabricação, podendo existir riscos quando utilizados. Conclui-se que os profissionais envolvidos na área de construção civil devem recusar a utilização desses materiais, proporcionando benefícios em aspectos econômicos, ambientais e sociais.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Tiago Braga de Oliveira, Bárbara Poliana Campos Sousa, Rondinelly Geraldo Pereira, Denise Coelho de Queiroz https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/378 MEMBRANAS E SEU USO EM OBRAS ARQUITETÔNICAS 2023-05-23T11:07:47+00:00 Bruna da Silva Costa bruna.costa1@univale.br Marcelly Souza marcelly.souza@univale.br Pablo Pereira Santos pablo.santos@univale.br <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">A civilização humana sempre teve a necessidade de construir espaços</span> <span style="font-weight: 400;">para vivência e buscar moldar o espaço à sua maneira, suas características próprias</span> <span style="font-weight: 400;">e culturas. Visto as tendências atuais, a tecnologia instiga a velocidade com que as</span> <span style="font-weight: 400;">construções são executadas. Por isso, recursos materiais como as membranas</span> <span style="font-weight: 400;">podem ser adequados dadas suas características como a leveza, versatilidade e</span> <span style="font-weight: 400;">fácil montagem.</span> <strong>Objetivo:</strong> <span style="font-weight: 400;">Conhecer novos materiais construtivos que podem</span> <span style="font-weight: 400;">auxiliar em determinados projetos e apontar exemplos da estrutura em construções</span> <span style="font-weight: 400;">reais. </span><strong>Metodologia:</strong> <span style="font-weight: 400;">Um estudo teórico de maneira sistemática dos principais objetos de estudo baseado nas aulas da disciplina de Sistemas Estruturais, com um</span> <span style="font-weight: 400;">grupo de alunos do quarto período do curso de Arquitetura e Urbanismo da</span> <span style="font-weight: 400;">UNIVALE</span><span style="font-weight: 400;">. </span><strong>Resultados:</strong> <span style="font-weight: 400;">A partir dos estudos realizados em grupos para a elaboração</span> <span style="font-weight: 400;">do trabalho, foi entendido como adequado o uso de membranas tensionadas em</span> <span style="font-weight: 400;">projetos específicos: efêmeros, eventos e anexos à estruturas. Porém suas</span> <span style="font-weight: 400;">características de certa forma a torna inviável para cobertura principal de</span> <span style="font-weight: 400;">construções como casas residenciais.</span> <strong>Conclusão:</strong> <span style="font-weight: 400;">É evidente, que diante de</span> <span style="font-weight: 400;">inúmeras inovações e tecnologias construtivas, estruturas leves são uma ótima</span> <span style="font-weight: 400;">opção para projetos que precisem de rápida execução. Porém, seu uso também</span> <span style="font-weight: 400;">agrega desvantagens em países como o Brasil que a mão de obra desse material é</span> <span style="font-weight: 400;">escassa e pela sua leveza e espessura, a acústica deve ser uma questão a ser</span> <span style="font-weight: 400;">pensada. Entretanto, é um material que pode incluir diversos conceitos e a sua</span> <span style="font-weight: 400;">plástica trazer o partido para o projeto de maneira única.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Bruna da Silva Costa, Marcelly Souza, Pablo Pereira Santos https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/379 O USO DE CAL PARA MITIGAR A OVIPOSIÇÃO DE MOSQUITOS AEDES EM OBRAS 2023-05-23T11:17:01+00:00 Guilherme Henrique Dias Silva guilherme.silva@univale.br Leonardo Vommaro leonardo.vommaro@univale.br Cláudio da Silva Gusmão claudios.gusmao@univale.br Felipe Maia Machado felipe.machado@univale.br Dayane Barreto da Silva dayane.carvalho@univale.br <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">Segundo dados do ministério da saúde os canteiros de obras representam 20% do risco de proliferação do </span><em><span style="font-weight: 400;">Aedes </span></em><span style="font-weight: 400;">em áreas urbanas, principalmente por conter equipamentos, locais e materiais que podem armazenar água parada e se tornar criadouros. </span><strong>Objetivo:</strong><span style="font-weight: 400;"> Este projeto visa testar, se a cal, material comumente utilizado em obras, é capaz de mitigar ou diminuir a oviposição de mosquitos </span><em><span style="font-weight: 400;">Aedes</span></em><span style="font-weight: 400;">. </span><strong>Metodologia:</strong><span style="font-weight: 400;"> Inicialmente foi verificado experimentalmente o coeficiente de solubilidade da cal na água, encontrando-se o valor de 0,2 g de cal/100 ml de água a 25°C, posteriormente, foi realizada a identificação e instalação de três conjuntos de duas armadilhas ovitrampas em três obras diferente, cada conjunto havia uma ovitrampa com cal e outra sem cal, sendo distribuídas em diferentes pontos de coleta na obra. Sete dias após a instalação das ovitrampas, realizou-se a coleta das tarjetas e a contagem de ovos depositados. Por fim, os dados obtidos foram analisados utilizando o software R, lançando mão do teste-t para a comparação da quantidade de ovos por tratamento. </span><strong>Resultados:</strong><span style="font-weight: 400;"> Nas tarjetas sem cal somou-se um total de 1274 ovos (média de 141 ovos por tarjeta), nos coletores com cal foram contabilizados 157 ovos (média de 17 ovos por tarjeta). A análise estatística mostra uma redução significativa (p=0,01024) no número médio de ovos nas tarjetas instaladas na presença de cal. </span><strong>Conclusão:</strong><span style="font-weight: 400;"> Verificou-se que a probabilidade de que a diferença entre as médias terem sido por aleatoriedade menor que 0,05, rejeitando-se a hipótese de que as diferenças sejam por acaso. Em outras palavras, os resultados sugerem que o tratamento com cal diminui a oviposição por parte das fêmeas de </span><em><span style="font-weight: 400;">Aedes.</span></em></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Guilherme Henrique Dias Silva, Leonardo Vommaro, Cláudio da Silva Gusmão, Felipe Maia Machado, Dayane Barreto da Silva https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/380 OBRAS E ESTRUTURAS SUSTENTÁVEIS 2023-05-23T11:39:48+00:00 Maria Graça a2022141692@isec.pt Mariana Martins a2022135206@isec.pt Inês Nunes inescnunes03@gmail.com João P. Mar. Gouveia jopamago@isec.pt <p><strong>Introdução</strong><span style="font-weight: 400;">: A sustentabilidade relaciona-se não apenas com o meio ambiente, mas também às questões económicas e sociais de um determinado país, e tem como objetivo a promoção do desenvolvimento das sociedades, abrangendo tanto as gerações atuais como as futuras. As obras e estruturas sustentáveis são todas aquelas que utilizam materiais ou técnicas ecológicas, para a criação de um melhor meio ambiente, mas de forma que as construções durem bastante. </span><strong>Objetivos: </strong><span style="font-weight: 400;">É importante que idealizemos técnicas para implementar e dar a conhecer mais obras e estruturas com uma pegada mais sustentável e podermos alcançar este objetivo através da gestão de tempo e economização de recursos, ou seja, as obras e as estruturas sustentáveis ficarem-se nas respostas às necessidades da população sem colocar em causa as gerações futuras. </span><strong>Metodologia:</strong><span style="font-weight: 400;"> A realização deste trabalho foi com intuito de mostrar os aspectos fundamentais das obras e estruturas sustentáveis. Com este trabalho é fácil de vermos quando se trata de uma estrutura nova ou de uma remodelação, há vários aspetos que podemos ver antes de qualquer construção, como a orientação do sol, a orientação do vento, os materiais a utilizar e as técnicas de construção. Quanto à escolha dos materiais a aplicar, temos que ter em atenção diversos fatores, tais como, não serem tóxicos, serem recicláveis ou reutilizados e terem uma durabilidade elevada. </span><strong>Resultados: </strong><span style="font-weight: 400;">As obras e estruturas sustentáveis é um tema cada vez mais importante, e tem sido notório as mudanças que tem existido nas novas construções. Com a preocupação que existe de alcançarmos um meio ambiente mais sustentável é necessário que estas construções contribuam para a sustentabilidade. Verificamos que se tem realizado através do Estádio Mineirão, Belo Horizonte em Minas Gerais, que investiu na sustentabilidade na sua reconstrução. </span><strong>Conclusão: </strong><span style="font-weight: 400;">Em suma, um edifício sustentável começa muito antes da sua construção, com a escolha de materiais menos agressivos ao meio ambiente, duráveis. Podemos ter em consideração a utilização de materiais reciclados como matéria prima que podem ser categorizados em dois tipos, o pós-industrial, é quando o material reciclado vem de resíduos industriais, e o pós-consumo, é o caso de materiais provenientes de destruições que podem ser aproveitados na construção ou reciclados e transformados em outros materiais.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Maria Graça, Mariana Martins, Inês Nunes, João P. Mar. Gouveia https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/381 OVIPOSIÇÃO DE AEDES (STEGOMYIA) NUMA ASSOCIAÇÃO DE CATADORAS E CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS 2023-05-23T12:00:17+00:00 Beatriz Rocha Vaz beatriz.vaz@univale.br Fabricio dos Santos Pereira fabricio.pereira@univale.br Keila Alves Sá Rocha keila.rocha@univale.br Kelly Cristina Subtil Resende kelly.resende@univale.br Pedro Henrique Pimenta F.B. Soares pedro.borges@univale.br <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">Os mosquitos do gênero </span><em><span style="font-weight: 400;">Aedes </span></em><span style="font-weight: 400;">(Stegomyia) são importantes vetores de</span> <span style="font-weight: 400;">arboviroses no Brasil. A destinação de resíduos sólidos é fator de risco para a</span> <span style="font-weight: 400;">reprodução dessas espécies, tornando necessário o descarte correto e vigilância de</span> <span style="font-weight: 400;">domicílios e estabelecimentos. A Associação de Catadores de Resíduos Sólidos</span> <span style="font-weight: 400;">(ASCARF), em Governador Valadares, MG, tem papel essencial na gestão de</span> <span style="font-weight: 400;">resíduos sólidos por meio da reciclagem de materiais, sendo importante o</span> <span style="font-weight: 400;">monitoramento de suas dependências.</span> <strong>Objetivo:</strong><span style="font-weight: 400;"> Analisar se as diferentes áreas de</span> <span style="font-weight: 400;">triagem da ASCARF afetam a taxa de oviposição de </span><em><span style="font-weight: 400;">Aedes.</span></em> <strong>Metodologia:</strong><span style="font-weight: 400;"> Foram</span> <span style="font-weight: 400;">escolhidas 3 áreas do terreno da ASCARF, com as seguintes características: A) área</span> <span style="font-weight: 400;">de triagem onde há menor tempo de permanência dos materiais; B) área de</span> <span style="font-weight: 400;">armazenamento onde se encontra uma quantidade abundante de vidro, e</span> <span style="font-weight: 400;">permanece por um período aproximado de três meses; C) área de mata que fica no</span> <span style="font-weight: 400;">fundo do terreno e é uma parte com mata ciliar, às margens de um córrego. Foram</span> <span style="font-weight: 400;">distribuídas 10 armadilhas em cada área e após sete dias foram coletadas e levadas</span> <span style="font-weight: 400;">ao laboratório para a quantificação dos ovos. </span><strong>Resultados:</strong><span style="font-weight: 400;"> A abundância de ovos da</span> <span style="font-weight: 400;">área de triagem (604) foi menor que as demais áreas analisadas, área de armazenamento (1158) e mata (1705). Entretanto, a mata apresentou maior Índice</span> <span style="font-weight: 400;">de Densidade de Ovos (IDO) e Índice de Positividade da Ovitrampa (IPO) em</span> <span style="font-weight: 400;">relação às outras.</span> <strong>Conclusão:</strong><span style="font-weight: 400;"> A triagem de materiais recicláveis não ocasionou</span> <span style="font-weight: 400;">aumento na oviposição de </span><em><span style="font-weight: 400;">Aedes</span></em><span style="font-weight: 400;">. A positividade das ovitrampas e abundância de</span> <span style="font-weight: 400;">ovos já indicam o estabelecimento desses mosquitos vetores.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Beatriz Rocha Vaz, Fabricio dos Santos Pereira, Keila Alves Sá Rocha, Kelly Cristina Subtil Resende, Pedro Henrique Pimenta F.B. Soares https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/382 PONTES SUSTENTÁVEIS 2023-05-23T12:20:49+00:00 Laura Bernardo Antunes laurabernardoantunes90@gmail.com Maria João Cerveira maria.cerveira.14l@gmail.com Breno Saroa Gala brano.gala@ipb.edu.pt João P Mar. Gouveia jopamago@isec.pt <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">A criação de modelo à escala reduzida de estruturas, permite avaliar de forma qualitativa o comportamento estrutural e verificar a resposta&nbsp; dos materiais. Com a realização de ensaios expeditos consecutivos para avaliação estrutural é viável realizar ajustes e fazer a reformulação do modelo, na procura de reduzir o erro, sendo útil avaliar o comportamento de pontes concebidas com materiais sustentáveis.</span><strong> Objetivo: </strong><span style="font-weight: 400;">Criação de modelo de ponte sustentável, para aplicação dos conhecimentos adquiridos. Identificação de problemas na execução do modelo e a respetiva avaliação de comportamento mecânico e da resistência do material, do comportamento estético e funcional, avaliando também a resposta dos apoios e dos elementos estruturais. </span><strong>Metodologia:</strong><span style="font-weight: 400;"> Descrição qualitativa do comportamento mecânico, estético e funcional de modelos por ensaios expeditos em pontes através de pesquisas na internet e do conhecimento adquirido em experiências similares. </span><strong>Resultados: </strong><span style="font-weight: 400;">A utilização de modelos de ensaios para aquisição de conhecimentos práticos foi essencial. As tarefas de idealização das maquetes, definição dos procedimentos de construção, e a visualização do comportamento das pontes estimula criatividade e a compreensão em associação aos conteúdos do curso. A oferta e a disponibilidade de materiais sustentáveis para a conceção de estruturas e de modelos requer estudos de desenvolvimento mais aprofundados. </span><strong>Conclusão:</strong><span style="font-weight: 400;"> Este trabalho, permitiu reconhecer a importância da aplicação prática de conceitos e da aprendizagem na compreensão por avaliação experimental pedagógica, lúdica e didática. Considera-se essencial apresentar propostas de estudos sobre exemplos e tipo de elementos resistentes com materiais de cariz sustentável, a usar em modelos e em estruturas à escala real.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Laura Bernardo Antunes, Maria João Cerveira, Breno Saroa Gala, João P Mar. Gouveia https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/383 PRODUÇÃO DE TIJOLOS DE SOLO CIMENTO COM A UTILIZAÇÃO DE SOLO RESULTANTE DE DESATERRO EM CANTEIRO DE OBRA 2023-05-23T12:44:41+00:00 Davi Lana Muratori davi.muratori@univale.br Gabriel Marques Coelho Teixeira gabriel.coelho@univale.br Ronivon Gomes Júnior ronivon.junior@univale.br Anderson Caetano Gusmão anderson.gusmao@univale.br <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">No trabalho em questão, foi apresentada a proposta para a produção</span> <span style="font-weight: 400;">de tijolo à base de solo cimento, utilizando-se de solo resultante de escavações no</span> <span style="font-weight: 400;">canteiro de obras. Dessa forma, o rejeito ou solo que muitas das vezes é descartado</span> <span style="font-weight: 400;">como material de reaterro ou até mesmo de forma indevida, poderá ser reutilizado e</span> <span style="font-weight: 400;">aproveitado como material de construção para a edificação no terreno onde ocorreu</span> <span style="font-weight: 400;">sua extração</span><strong>. </strong><strong>Objetivo:</strong> <span style="font-weight: 400;">O objetivo principal é valorizar o rejeito utilizando como</span> <span style="font-weight: 400;">material comumente desprezado no dia a dia, além de promover a inovação na área</span> <span style="font-weight: 400;">de produção dos tijolos de solo cimento</span><span style="font-weight: 400;">.</span> <strong>Metodologia:</strong> <span style="font-weight: 400;">Obedecendo às premissas</span> <span style="font-weight: 400;">das NBR’s da ABNT, coletou-se o material de um canteiro de obras, localizado no</span> <span style="font-weight: 400;">centro da cidade de Governador Valadares-MG. Com o solo em laboratório, realizou-se os ensaios de caracterização, tais como a granulometria e limites de Atterberg.</span> <span style="font-weight: 400;">Conhecida as características do solo foi proposto os traços 1:4 e 1:5 sendo utilizado</span> <span style="font-weight: 400;">o cimento CP V. Para finalizar, levou-se a mistura a prensa mecânica</span><span style="font-weight: 400;">.</span> <strong>Resultados:</strong> <span style="font-weight: 400;">Considerando que o solo estudado é composto por cerca de 90% de areia (ou seja,</span> <span style="font-weight: 400;">um solo arenoso), mesmo após várias tentativas para a moldagem dos tijolos de</span> <span style="font-weight: 400;">solo cimento o mesmo não atingiu resistência suficiente para a desforma, sendo</span> <span style="font-weight: 400;">inviável a fabricação sem a adição de solo argiloso à mistura. </span><strong>Conclusão:</strong> <span style="font-weight: 400;">Logo,</span> <span style="font-weight: 400;">conclui-se que não é possível produzir os tijolos de solo-cimento com o solo de</span> <span style="font-weight: 400;">extração da área testada sem a adição de solo argiloso, devido à composição e</span> <span style="font-weight: 400;">distribuição granulométrica desse solo.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Davi Lana Muratori, Gabriel Marques Coelho Teixeira, Ronivon Gomes Júnior, Anderson Caetano Gusmão https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/384 RELAÇÃO ENTRE A PRESENÇA DE RESÍDUOS E A PROLIFERAÇÃO DE MOSQUITOS EM GOVERNADOR VALADARES, MG 2023-05-23T12:59:41+00:00 Clebio Chaves clebio.chaves@univale.br Felipe Galdinho Da Silva felipe.galdino@univale.br Hudson Eloi Reis Oliveira hudsoonreiis@gmail.com Jonathan Bibeiro Rodrigues jonathan.rodrigues@univale.br Pedro Henryque Alves De Araújo pedro.henryque@univale.br <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">Arboviroses como dengue, zika e chikungunya são transmitidas por mosquitos do gênero </span><em><span style="font-weight: 400;">Aedes</span></em><span style="font-weight: 400;">. Estes mosquitos se reproduzem em locais onde a água fica parada como lotes com a presença de resíduos domésticos. </span><strong>Objetivo: </strong><span style="font-weight: 400;">Testar a relação entre a presença de resíduos em bairros de diferentes condições socioeconômicas de Governador Valadares, MG. </span><strong>Metodologia: </strong><span style="font-weight: 400;">Foram escolhidos três bairros cuja limpeza é feita com a mesma periodicidade, mas diferem em relação às condições socioeconômicas da população, na cidade de Governador Valadares. Em cada bairro foram selecionados dois lotes vagos, distantes pelo menos 0,5 km entre si. Em cada lote colocou-se cinco ovitrampas distantes pelo menos 1m entre si. Após seis dias, as ovitrampas foram recolhidas e levadas para o laboratório, onde os ovos de cada armadilha foram contados. Em seguida os índices de positividade das ovitrampas, assim como a densidade de ovos foram calculados. </span><strong>Resultados: </strong><span style="font-weight: 400;">Os índices de positividade e densidade de ovos variaram significativamente em função da presença de resíduos e foi menor no bairro cuja população tem maior poder socioeconômico. Somando-se o total de ovos nas 5 ovitrampas de cada lote, o número variou entre um ovo no lote com menor número de ovos total e 603 ovos onde houve o maior número de ovos total . </span><strong>Conclusão: </strong><span style="font-weight: 400;">Os resultados sugerem que, além da presença de resíduos ser um fator de risco para a presença de vetores, há maior presença de mosquitos nos bairros cuja população é socioeconomicamente mais vulnerável demandando maior atenção do poder municipal em relação à limpeza urbana e fiscalização de lotes vagos. </span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Clebio Chaves, Felipe Galdinho Da Silva, Hudson Eloi Reis Oliveira, Jonathan Bibeiro Rodrigues, Pedro Henryque Alves De Araújo https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/385 UTILIZAÇÃO DE MÉTODO MULTIATRIBUTOS DE APOIO A DECISÃO PARA OBTENÇÃO DE ÍNDICE DE AMEAÇA DE INCÊNDIOS FLORESTAIS NO DISTRITO DE COIMBRA 2023-05-23T13:23:09+00:00 Marcos Vinícius Quizadas de Lima mviniciusqlima@gmail.com Eduardo Manuel Ferreira Almeida da Natividade de Jesus ednativi@isec.pt João Pedro Costa jcosta@isec.pt <p><strong>Introdução: </strong><span style="font-weight: 400;">O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) divulgou um relatório em que diz que “prevê um aumento global de incêndios extremos de 14% até 2030, 30% até o final de 2050 e 50% até o final do século.”. Além do risco de perda de vidas, os incêndios florestais trazem consequência de diversas ordens, entre elas pode se citar a poluição do ar, impacto na fauna, perda de produção agrícola, impacto no patrimônio, elevados gastos com operações de emergência etc. </span><strong>Objetivo:</strong><span style="font-weight: 400;"> Este trabalho teve por objetivo criar índice de ameaça de incêndios florestais, baseado em método multicritério (Electre TRI), que possibilite a gestores e corporações de proteção civil, tomadas de decisão quanto ao monitoramento, mitigação e controle de ameaças de incêndio em território do Distrito de Coimbra. </span><strong>Metodologia:</strong><span style="font-weight: 400;"> O trabalho foi desenvolvido em 4 etapas: Determinação de atributos a serem usados; Análise histórica do comportamento dos atributos em ocorrências do evento incêndio no território, utilizando o método multicritério. Determinação de limiares de cada variável; Validação do método com estudo de caso. </span><strong>Resultados:</strong><span style="font-weight: 400;"> Os processamentos e análises realizados anteriormente determinaram os limiares que o critério pretendido exige. De posse desses dados foi criada uma situação hipotética para determinar os índices de ameaças no território estudado. O resultado foi consolidado e apresentado em mapa georreferenciado em que foi possível observar o índice por freguesias do Distrito de Coimbra. </span><strong>Conclusão:</strong><span style="font-weight: 400;"> O estudo de caso permitiu com que fosse aplicado método Electre Tri para a determinação de ameaças de incêndios florestais em diversas freguesias do Distrito de Coimbra, apresentando resultado satisfatório, em plataforma com visualização integrada e interface objetiva.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Marcos Vinícius Quizadas de Lima, Eduardo Manuel Ferreira Almeida da Natividade de Jesus, João Pedro Costa https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/386 VIABILIDADE TÉCNICA NO REAPROVEITAMENTO DA AREIA DE ESCAVAÇÃO NA PRODUÇÃO DE ARGAMASSA PARA ASSENTAMENTO DE ALVENARIA 2023-05-23T13:39:32+00:00 Ana Paula Menezes Godinho anapaula.godinho@univale.br Lucas Alves Barbosa lucas.barbosa@univale.br Thirza Montenegro thirza.ruela@univale.br Anderson Caetano Gusmão anderson.gusmao@univale.br <p><span style="font-weight: 400;">.<strong>Introdução: </strong>É evidente que as atividades de mineração de areia são fundamentais para o desenvolvimento econômico da sociedade capitalista atual. Muitos também consideram a atividade essencial no desassoreamento de rios já degradados, porém, essa atividade também tem causado uma série de danos ao meio ambiente. Sendo assim, é necessário haver uma mudança na exploração de recursos naturais e que eles sejam utilizados racionalmente para atender as necessidades da sociedade atual sem comprometer a disponibilidade desses recursos para as gerações futuras. <strong>Objetivo:</strong> Analisar, por meio de ensaios normativos, a reutilização da areia extraída durante a escavação do canteiro de obras, para confecção de argamassa que será utilizada para produção de argamassa para assentamento de alvenaria em comparação com a utilização da areia lavada. <strong>Metodologia:</strong> Foram selecionados artigos e trabalhos técnicos na internet em língua portuguesa nos portais da Scientific Eletronic Library Online – SCIELO e Google Acadêmico. <strong>Resultados: </strong>As argamassas devem possuir resistência mecânica compatível com os esforços que estão sendo solicitados, no caso de argamassa de assentamento a resistência à compressão é fundamental e no caso de argamassa de revestimento devem possuir resistência a cargas de impacto. <strong>Conclusão:</strong> A reciclagem de resíduos de construção avança no país, assim como estudos relativos a ela. Da mesma forma, a perda de materiais de construção continua a ocorrer, embora sejam cada vez mais estudadas e sejam propostos procedimentos para minimizá-los e controlá-los.</span></p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Ana Paula Menezes Godinho, Lucas Alves Barbosa, Thirza Montenegro, Anderson Caetano Gusmão https://periodicos.univale.br/index.php/jae/article/view/388 CAPA, EXPEDIENTE E APRESENTAÇÃO DOS ANAIS DA JORNADA ACADÊMICA DAS ENGENHARIAS 2023-06-01T16:44:30+00:00 SIBI/Univale periodicos@univale.br <p>A Jornada Acadêmica das Engenharias, realizada anualmente desde 2020, fundamenta-se na compreensão de que a pesquisa é indispensável para a formação acadêmica e para o desenvolvimento das ciências e tecnologia. O evento visa fomentar o diálogo transdisciplinar entre as diversas áreas da engenharia por meio de trocas de conhecimento entre os acadêmicos e profissionais e a socialização da produção acadêmica e científica desenvolvida na Univale em seus cursos de graduação e pós-graduação e outras instituições de pesquisa e ensino superior.</p> 2023-06-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 SIBI/Univale